Archive for mplguarulhos

Debate: Passe Livre Estudantil x Tarifa Zero

Na próxima quinta-feira, o MPL-Guarulhos realizará uma oficina de catracaço e um debate sobre o Passe Livre Estudantil e a Tarifa Zero.

O evento ocorre no campus provisório da Unifesp Guarulhos, onde estudantes deliberaram em assembleia a paralisação das atividades por uma semana (16 à 20/03) para discutir principalmente a pauta do transporte.

teste2,

19/03, às 18h
Unifesp Guarulhos (campus provisório)Av. Monteiro Lobato, 679 - Macedo

Nota de repúdio à Folha Metropolitana

NOTA DE REPÚDIO A COBERTURA DA FOLHA METROPOLITANA SOBRE AS MANIFESTAÇÕES DO MOVIMENTO PASSE LIVRE GUARULHOS

DSC00013

não é de hoje que a Folha Metropolitana atende os interesses dos governantes – foto de junho 2013

Nós, do Movimento Passe Livre Guarulhos, gostaríamos de expressar o nosso descontentamento e indignação com a cobertura tendenciosa que o jornal Folha Metropolitana tem dado com relação aos atos pela Revogação da Passagem e pela Tarifa Zero, realizados durante o mês de Janeiro. EXPLICITAMOS O NOSSO REPÚDIO À MANEIRA DESDENHOSA QUE A FOLHA METROPOLITANA TEM TRATADO A LEGITIMA MOBILIZAÇÃO POPULAR NA DEFESA DOS NOSSOS DIREITOS. Nossa luta é contra essa lógica mercantil de transporte, para que assim possamos exercer o direito à cidade.

Por inúmeras vezes a Folha Metropolitana fez acusações falsas ao movimento, como a de depredação de uma lixeira no ato do dia 12/01, o que não ocorreu, ou também como uma pretensa falta de clareza do MPL com relação a sua pauta, segundo alega o editorial do dia 31/01. Sabemos muito bem o que queremos. Negociatas não estão entre nossas pautas. O que o movimento quer são atitudes concretas pela revogação do aumento e implantação da Tarifa Zero. Não há o que negociar!

Noticias foram publicadas pela metade, como o recorte na fala de Lucio Gregori em aula publica ministrada no dia 27/01 na Praça Getulio Vargas, corte este que pode ser entendido como uma manobra para deixar incoerente ou com pouca clareza a proposta do palestrante para viabilizar a Tarifa Zero.

Também nos associaram a negociações a portas fechadas com representantes da prefeitura. Nunca o fizemos. Nossa arena sempre foi a rua, junto com o povo! A Folha também colocou na boca de nossos manifestantes palavras que não disseram. Nunca dissemos que nossa pauta era audiência pública com a STT (Secretaria de Transportes e Trânsito), como foi alegado em matéria do dia 28/01. Queremos ser ouvidos e obter resultados, e não aceitamos as desculpas rasas que o poder estatal nos tem dado.

Somos contra meias verdades, contra o jornalismo medíocre que manipula o que é dito para fazer valer suas opiniões, e contra a leviandade que forja noticia para deslegitimar a luta do povo.

Está mais do que evidente o papel que esse jornaleco cumpre: não o de oferecer informação de qualidade à população, mas sim o de garantir os interesses patronais. E se há falta de imaginação, ela vem do próprio jornal: seja pelo nome que não tem nenhuma criatividade (Folha…), seja por não apresentar nenhuma novidade em seu conteúdo, pois como grande parte dos jornais, se restringe em perpetuar notícias levianas, reforçando o caráter golpista da mídia, que é como o próprio nome sugere: média, medíocre!

Sendo assim, REPUDIAMOS A COBERTURA TENDENCIOSA, LEVIANA E PREGUIÇOSA QUE A FOLHA METROPOLITANA TEM DADO AS MANIFESTAÇÕES ORGANIZADAS PELO MOVIMENTO PASSE LIVRE EM GUARULHOS, pois defendemos o direito da população de ter informações sérias e compatíveis com a realidade.

Por tudo que foi dito acima, exigimos direito de resposta no jornal (impresso e on-line), assim como retratação da Folha Metropolitana perante a Manifestação.

MOVIMENTO PASSE LIVRE GUARULHOS
Por uma vida sem catraca e sem patrão!
10 de fevereiro de 2015.

Vamos Fanfarrear!

divulgacao

Sarau Carolina, 19h!
https://www.facebook.com/events/1413412285618566/

4º ato contra a tarifa em Guarulhos

chamada

No dia 28/01 realizamos o Enterro da Tarifa,saímos da Matriz e fomos até a frente do Adamastor, onde acontecia uma reunião a portas fechadas entre o secretário de transportes Atílio Pereira e os donos das empresas, na tentativa de justificar o aumento da tarifa. Organizamos então, uma plenária onde o mega-fone estava disponível para todas as pessoas falarem sobre a situação do transporte em diversos pontos da cidade.

Quinta-feira 12/02
Concentração à parrtir das 17h
Em frente a Matriz

Voltaremos a tomar as ruas de Guarulhos.
Se a tarifa não baixar, a cidade vai parar!!!”

TARIFA ZERO JÁ!
POR UMA VIDA SEM CATRACAS E SEM PATRÃO.

3º ato: enterramos a tarifa!

Na tarde de quarta-feira (28), centenas de pessoas compareceram as ruas de Guarulhos para participarem do 3º Ato: o enterro da tarifa.

10428604_932343340111313_4387982552875609642_n

O ato organizado pelo Movimento Passe Livre de Guarulhos começou na Praça da Matriz e teve como destino o Teatro Adamastor do Centro, onde o secretário de transportes Atílio Pereira se reunia com representantes das empresas na tentativa de justificar o aumento da tarifa nos ônibus municipais.

Nós, do Movimento Passe Livre de Guarulhos, repudiamos tais encontros de portas fechadas. Acreditamos que a luta se constrói nas ruas, com participação popular e transparência nas ações.

Mais uma vez denunciamos o aumento abusivo das tarifas e reforçamos que o transporte não deve ser encarado como mercadoria, mas sim um serviço público à toda a população com Tarifa Zero.

Chega de catracas!

9811_932360076776306_354752458977130869_n“Conhecido como centro cultural de Guarulhos
Este é o Adamastor,
o teatro da cidade.
Que só valoriza artistas que vem de fora.
E nos cobram ingressos caros.

Com uma sala de exposições,
sem a mínima segurança
para as obras de nossos artistas.

Aqui se prioriza
a política de balcão!
E são realizados eventos,
que enchem os bolsos dos políticos.

Um espaço público,
onde acontecem reuniões
a portas fechadas.

Essa não é a nossa cultura!

Mais uma vez
o Almeida barra nosso acesso.
Pelo acesso às ruas e aos locais públicos.
Chega de catracas!”

Plenária

No mesmo momento em que a reunião do secretário com os donos das empresas acontecia dentro do teatro, organizamos uma plenária na rua para que pudéssemos falar sobre os problemas enfrentados cotidianamente no transporte da cidade.

Muitas pessoas relataram sobre os cortes de linhas, a frota de ônibus sucateada, as péssimas condições de trabalho de motoristas e cobradores/as, lotação acima do permitido entre tantos outros problemas.

Em um certo momento o secretário de transporte ensaiou participar da plenária na rua, porém recuou com medo do que ouviria da população e manteve sua atividade de tentar justificar o impossível.

Secretário e Prefeito, nosso recado foi dado. Nenhum centavo a mais!

Jogral do escracho

10155727_932424516769862_1322003156368485600_n“Secretário nosso que está no governo,
Qualquer que seja vosso nome
Venha a nós o seu poder na cidade
Como em todo o país.

As suas negociatas de cada dia
Nos mostre hoje na rua
E perdoai as nossas ausências nos gabinetes
Assim como nós não perdoamos
As organizações que agem contra nós.

Não sairemos das ruas e quebradas
Enquanto você burocrata
Se mantém na sala do gabinete.

Não nos deixaremos aceitar o arrego
Nos livraremos de todo mal do poder
Pelo fim do Estado!
Pelo fim do Capital!
Pelo fim da Tarifa!
Lutem!

1499592_932343346777979_5033308708187192310_n

À luta! Nas ruas! 2º Ato contra o aumento da tarifa – 19/01 às 17h Praça da Matriz

10525696_930628793623636_6138538797447094957_n

:: 19 DE JANEIRO ÀS 17H NA MATRIZ – ATO CONTRA A TARIFA
3,50 NÃO DÁ! TARIFA ZERO JÁ!

+ https://www.facebook.com/events/1568850883360007/

Na segunda-feira, 19 de janeiro, às 19h na matriz iremos novamente parar a cidade! Estamos cansados deste modelo de transporte que governos e patrões nos impõe. Defendemos um transporte efetivamente público, com TARIFA ZERO, controlado pelo povo. Exigimos a REDUÇÃO IMEDIATA DA TARIFA, pois não queremos mais sermos roubados todos os dias nas catracas dos ônibus das empresas que lucram com o nosso ir e vir pela cidade.

JÁ BASTA! SE A TARIFA NÃO BAIXAR A CIDADE VAI PARAR!

TARIFA ZERO QUANDO? TARIFA ZERO JÁ!

Nota: MPL não se reunirá com secretário de transportes

O Movimento Passe Livre Guarulhos vem a público esclarecer que NÃO se reunirá com o Secretário de Transportes, Atílio Pereira, nesta quarta-feira, 14/01.

Primeiramente, repudiamos a atitude da STT de nem ao menos enviar um chamado oficial contendo previamente as pautas que serão discutidas em tal reunião. Ficamos sabendo de modo informal, visto que um dos militantes foi procurado e não o movimento. Com isso, reiteramos que uma das características do MPL é a horizontalidade e não toleraremos qualquer tipo de oportunismo e cooptação da parte do governo da luta que travamos. Além disso, entendemos que qualquer reunião que discuta os interesses populares deve ser PÚBLICA e não restrita. Afinal, qual o medo da Secretaria em divulgar publicamente para que todos os cidadãos de Guarulhos possam participar?

Entendemos que essa nota é necessária para chamar a atenção da população e evitar assim o uso indevido ou sequestro da sigla por parte de organizações, indivíduos e políticos, como já aconteceu em outras cidades pelo Brasil, em campanhas políticas e por parte de organizações governistas, com intuitos que não correspondem a pauta do PASSE LIVRE PARA TODOS E TODAS e características das quais, enquanto movimento apartidário, não compartilhamos.

O MPL se opõe completamente a reuniões a portas fechadas, temos como princípio a oposição a via parlamentar e institucional de “negociações”, entendemos que a força das lutas devem vir das RUAS, pelo poder popular. Nossa pauta é clara e está nas manifestações: 3,50 NÃO DÁ! TARIFA ZERO JÁ!

CONTRA AS TARIFAS!
MPL- Guarulhos

Para saber mais: http://saopaulo.mpl.org.br/2014/05/13/nota-da-federacao-nacional-do-mpl-sobre-o-sequestro-de-sigla/

Primeiro ato contra aumento do busão – PM defende empresários

2Na tarde de segunda-feira centenas de pessoas se reuniram para protestar contra o aumento das tarifas de ônibus em Guarulhos. Os manifestantes tiraram o trajeto em assembleia durante a concentração na Praça da Matriz. Ficou acordado que o trajeto seria até a garagem da empresa de ônibus Vila Galvão, porém a PM impediu que os manifestantes chegassem até a empresa se utilizando de seu aparato repressivo.

5

“vocês tem 2 minutos ou vamos evacuar a área”

A alegação do comando da PM, que impediu a manifestação com um bloqueio de policiais da força tática, foi de que não poderíamos ocupar a rodovia presidente Dutra. Porém, em nenhum momento acordamos coletivamente de que ocuparíamos a Dutra. O trajeto foi bem definido desde o começo do ato e a PM já sabia que iríamos até apenas até a garagem da Vila Galvão. Infelizmente nos deparamos com uma situação em que a PM estava ali apenas para garantir o lucro dos patrões. Além disso o comando da PM colocou em risco a integridade física dos/das manifestantes, dando um prazo de 2 minutos para que a manifestação evacuasse o local, senão entrariam em ação com seus métodos truculentos. Lembramos que em 2013, em Belo Horizonte, manifestantes morreram ao cair de um viaduto após serem reprimidos pela PM. Em nenhum momento o MPL-Guarulhos colocaria em risco a integridade física de quem está na luta, por isso decidimos coletivamente que seria melhor o ato voltar até a praça da matriz para seu encerramento.3

Seguimos com nosso ato pelo centro de Guarulhos e tivemos grande apoio da população. Durante todo ato foram entoadas palavras de ordem e cantos contra o aumento da tarifa; apenas um momento o ato permaneceu em silêncio em respeito ao hospital que passamos em frente. A luta do primeiro ato contra o aumento do busão foi muito bonita! Celebramos a força de todos coletivos que compareceram no ato para somar nessa luta.

Nosso ato cumpriu seu objeto de reunir manifestantes em torno da pauta do transporte – Denunciar o aumento abusivo da passagens nos ônibus municipais e intermunicipais e exigir a Tarifa Zero para toda a população!

Praça do 4º Centenário

locomotiva

locomotiva na praça do 4º centenário

Durante o ato fizemos uma parada em frente a praça do 4º Centenário para relembrar um pouco da história sobre o transporte público em Guarulhos: em 1915 a Estrada de Ferro da Cantareira chegou em Guarulhos, um ramal que servia as estações de Areal, Carandiru, Vila Paulicéia, Parada Inglesa, Tucuruvi, Vila Mazei, Jaçanã, Vila Galvão, Torres Tibagy, Gopouva, Vila Augusta, Guarulhos e Base Aérea de Cumbica. A linha funcionou até 1965, um ano pós o golpe militar. Entendemos que a história não está desconectada e que esse foi um período de grande investimento no transporte privado em detrimento do público.

A luta só começou e na próxima segunda feira (19), já marcamos o próximo ato contra o aumento do busão!

2º grande ato contra a tarifa de Guarulhos
https://www.facebook.com/events/1568850883360007/

TARIFA ZERO QUANDO? TARIFA ZERO JÁ!!!

MPL – Guarulhos
Por uma vida sem catracas e sem patrão!

Fotos do coletivo A Invasãohttps://www.facebook.com/ainvasao

Balanço da Reunião Aberta 08-01-2015

Presentes: MPL (Movimento Passe Livre), UJS (União da Juventude Socialista), UNE (União Nacional dos Estudantes), PSOL, Unidos para Lutar, Fora da Ordem do PT, Revolta da Catraca (Atibaia), Coletivo A Invasão, Partido Pirata e população de Guarulhos/SP.

O MPL-Guarulhos realizou uma reunião aberta no dia 08/01, na Praça Getúlio Vargas, que reuniu cerca de 70 pessoas, para discutir a Tarifa Zero e o aumento das passagens. Estiveram presentes os coletivos acima citados, trazendo suas perspectivas em torno da nossa pauta única, na intenção de construirmos o Ato do dia 12/01, na próxima segunda-feira.

Foi consenso entre os presentes a redução imediata das tarifas municipal e intermunicipal, sendo a luta organizada nas ruas a principal forma de se alcançar essa reivindicação. Houve também uma discussão sobre as formas de se alcançar a Tarifa Zero, principal bandeira do Movimento Passe Livre (MPL), o que agrega a nossa luta anticapitalista.

Foi feita a defesa do passe livre estudantil por alguns grupos presentes. Nós do Movimento Passe Livre defendemos que somente esta medida não é satisfatória para garantir o acesso à cidade para toda população. Para isso, é preciso a implantação da TARIFA ZERO, como já existente em algumas cidades do país.

Entende-se que a mobilidade urbana é um direito de toda a população, e que o aumento da tarifa, bem como a tarifa em si, se apresenta como uma violação desse direito, a medida que ocupar a cidade, seja a trabalho, estudo ou lazer, nos é negado. Nesse sentido, destacamos a responsabilidade dos governos em relação ao nosso direito ao transporte.

A forma como esse direito é violado também foi discutida: a terceirização do serviço público ao setor privado demonstra claramente a garantia da produção e reprodução do lucro. Em Guarulhos, bem como em todo sistema de transporte estadual e municipal, quem gere a nossa mobilidade são empresas privadas que roubam o nosso dinheiro a cada catraca rodada.

O MPL-Guarulhos avalia que esse encontro foi importante por reunir os posicionamentos que cada coletivo e indivíduo defendem e as construções em torno da pauta na qual o Movimento atua, e as consequências de mais um ataque à população. Entendemos que ocupar as ruas e as praças para discutir, reivindicar e avançar na luta e na organização de todos nós é essencial para derrubar a tarifa e atingir a Tarifa zero.

Ouça o 1º CD da Fanfarra do M.A.L

Fanfarra do M.A.L contra a tarifa e outras histórias da luta autônoma libertária de 2013

 

https://pt-br.facebook.com/FanfarraDoMal
https://fanfarradomal.milharal.org/

 

  • Categorias

  • Meta